domingo, 12 de dezembro de 2010

tempos complicados


«DEPOIS DA TEMPESTADE VEM SEMPRE A BONANÇA»
E MELHORES DIAS VIRÃO!


quero que este Inverno passe, preciso da Primavera para renascer

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

secret

estou contigo todos os diAs, conversamos sobre quase tudo e nem assim sei o que se passa na tua vida. guardas segredos para ti e para outros, quando prometemos partilhar tudo mais que uma vez. não sei como andam as coisas com o teu coração, não sei se estás apaixonada e é tão estranho... não é que pareça muito relevante mas se eu te chamo de Melhor amiga é porque me deste razões para confiar em ti tal como tu em mim, como muitas vezes me dizes! mas para além de nunca mais termos tido as nossas conversas de longas horas seguidas, muitas vezes mostras-te incapaz de me ouvir e de aconselhar como em tempos (não muito próximos) o fizeste, sinto uma distância estranha entre nós, uma barreira incrivelmente espessa e impOssível se ser destruída e eu não quero isso para esta grande "coisa" que construímos juntas! e se juntas a construímos, juntas vamos vivê-la e aproveitá-la, ou não?
não és a mesma ou pelo menos comigo não o és, o que me magoa imenso e me deixa muitas vezes em dúvida... não me quero tornar repetiTiva, mas: nós não vivemos para sempre e isto pode não durar para sempre, porque a vida sabe perfeitamente como pregar grandes partidas! não vires as costas ao mundo, se é que queres acreditar que o andas a fazer!
acorda amor, acorda porque Eu estou aqui


quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

estado nim

estava tão apaixonada que fiquei cega, queria tanta aquilo que perdi tudo, lutei tanto por ti que não vi que eu estava a ser a minha própria inimiga e que aliada à minha vida me derrotou cruelmente, quis tudo em prol de nada, fui egocêntrica e sei bem que não o devia ter sido, queria ter o mundo na minha mão e a única coisa que sobrou foram pedaços de qualquer coisa que me tinhas dado...
não consegui ser racional, não consegui pensar com a cabeça quando o meu coração mais me atraiçoou, estava ligada a ti de tal forma que perder-te significaria abandonar-me a mim própria. tenho saudades tuas e quero estar contigo eternamente, mas quero desprezar-te tanto...
quero-me decidir, mas os dados já foram lançados e mais não posso fazer contra isso.
desculpa, estou desesperada e sozinha mas, estranhamente esperançosa


terça-feira, 7 de dezembro de 2010

um pequeno pedaço de mim

nome: Ariana
data de nascimento: 08.04.1994
signo: carneiro
cor: branco
uma pessoa: mãe
um número: 25
uma música: dias de luta, dias de glória - charlie brown
um filme: para a minha irmã
um livro: lua de joana
uma flor: margarida
uma pessoa de quem sintas falta diariamente: a minha avó
um amor verdadeiro: o dos meus pais
um sentimento: carinho
um estado: zen
uma data: 3.11.2007
uma época: natal
uma estação: primavera
um gesto: um abraço forte
uma peça de roupa: vestido
uma imagem de infância: eu a agarrar a minha mãe quando me ia buscar à escola
uma memória: quando eramos só eu e tu
uma mensagem: "estou sempre contigo"
um animal: a Kiara
uma comida: lasanha
uma bebida: leite
um objecto: o meu mp3
um clube: F. C. Porto
um estádio: Dragão
um país: Portugal
uma cidade: Porto
uma ilha: Açores
um desporto: voleibol
um palavrão: caralho

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

sem título (para já, espero)

várias foram as vezes que ouvi a palavra "eutanásia" e até há uns meses não sabia o seu significado e desconhecia, por completo, a tamanha polémica que rodava a volta de uma simples palavra. Mas, no meio de um grande turbilhão de sentimentos e situações essa palavra chega a mim, mais uma vez, aos ouvidos mas agora de uma maneira bem diferente e a fazer bem mais sentido.
eutanásia ou morte assistida como muitas vezes é chamada é um tema completamente actual e ao mesmo dos mais controversos dessa mesma actualidade. em que muitos dizem ser um acto completamente descabido, e em que outros acham que faz todo o sentido que esta seja legalizada e ainda outros, como eu, não têm a certeza da sua opinião acerca disto tudo.
os motivos para que o governo tome a eutanásia como legal são mais que muitos, mas se formos a pensar bem no assunto também somos capazes de encontrar muitas razões para que se mantenha ilegal. afinal quem somos nós para acabar com a nossa vida? quem somos nós para destruir o que Alguém transcendente andou a criar durante tanto tempo? e os médicos ao desligarem as máquinas não estariam a cometer um crime? não estariam a acabar com aquilo que lutam diariamente? temos assim tanta autoridade para decidir entre viver ou morrer?
na mesma linha, mas contrariamente ao que disse anteriormente não teremos direito a optar entre viver com dores e sacrifícios e morrer (e acabar com aquilo que nos tem vindo a destruir?) não devíamos ser nós a decidir por nós? não temos o direito de pôr fim ao sofrimento que possamos estar a sentir? não somos chamados como seres racionais? e como tal a morrer quando queremos? podemos deixar os nossos familiares sofrerem por nos verem num estado de tal forma mau que só queiram que tudo passe mesmo quando sabem que dali nada de melhor vai sair? ou eles iriam sofrer mais por não nos verem?
tantas perguntas sem nenhuma resposta, tantas dúvidas sem nenhum fim à vista, tantos problemas sem resolução próxima. mas, no entanto, o mundo continua a correr, continua-se a fazer pessoas sofrer e continua-se num compasso de espera...
mas porquê? mas para quê? por vezes dou por mim a pensar que são vidas que estão em risco, são pessoa, aliás SOMOS PESSOAS! NÃO BONECOS!



sábado, 13 de novembro de 2010

estou presa! tirem-me deste filme! SOCORRO!

é estranho o teu olhar, mas ainda mais é a intensidade com que tu me olhas, conheces-me de qualquer outro sitio?! é estranho o teu toque, mas não há nada que mais me arrepie do que a forma como o fazes, estivemos juntos noutro tempo?! fascina-me o teu sorriso, e sempre que o vejo sinto um dejá vú, e aí tenho sempre a certeza que já nos cruzamos numa outra época, num outro terreno, numa outra vida, ou outra coisa do género!
e agora, onde páras? já não te encontro no sítio do costume, e o que dantes era uma leve neblina tornou-se, agora, num enorme nevoeiro que não me deixa ver para além dali!
e perguntam-me: custa-te perdoar e avançar?
eu respondo que não, mas o pior é que sempre que o tento fazer tu voltas a aparecer, tornas a complicar as minhas decisões e a fazer com que as minhas dúvidas fiquem gigantes! EU NÃO QUERO que isso aconteça! QUERO pensar pela minha cabeça, quero viver a minha vida (contigo ou sem ti, mas isto: definitivamente), não quero viver no "quase sim" ou "quase não"! quero certezas, quero conclusões!
estou farta de promessas que não possas cumprir, farta que me dês o teu braço com a intenção de me dares apenas um dedo, ENTREGA-TE, CRESCE, VIVE mas acima de tudo deixa-me entregar-me, deixa-me crecer e deixa-me viver.
não me cortes as asas! PÁRA!
fogo, que confusão!
QUERO OU NÃO QUERO?!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

ainda estás cá?

tenho a minha vida descrita em ti, tenho as minhas apostas feitas na tua pessoa, tenho todas as minhas poupanças investidas na nossa relação (ou seja lá o que isto for), mas tu já não estás cá.
logo agora, agora que precisava mesmo de ir às compras, às compras de um coração novo... já não o tenho e a única coisa que resta no seu lugar são um amontoado de coisas estranhas e para aqui estão e que, em tempos, eu chamei de memórias e recordações de seres que me marcaram...
quero saber onde estás, caramba! se ainda estiveres aqui dá-me um sinal, o sinal que eu procuro todas as noites quando deito a minha cabeça na almofada... pensa que existem pessoas no mundo para além de ti, e que não és o único habitante deste grande universo, pensa que foste covarde e que erraste, dá-me um sinal de ti, dá-me algo que me puxe para onde me deixaste, dá-me um chance para vencer... não sejas egoísta, e PÁRA de olhar apenas para o teu umbigo! 
quero voltar a ter-te, mas se não quiseres que isto se volte a alimentar DIZ-ME! diz-me que acabou tudo e que não tenho mais hipóteses, não faças com que eu permaneça na esperança, SÊ directo, mostra-me que és o homenzinho por quem me apaixonei...
só queria ver-te, nem que fosse nos meus sonhos!
necessito de algo que me volte a fazer ACREDITAR ou então que me faça DESISTIR disto (para sempre)
ainda estás cá, ou és miragem?
RESPONDE-ME, deixa-te de falsas investidas!

sábado, 6 de novembro de 2010

uma amiga ou algo do género

és uma amiga, uma pessoa que encontrei ou mesmo alguma coisa que se cruzou no meu caminho por acaso...
não sabes a falta que me fazes, e ao mesmo tempo o a felicidade que me transmites e o orgulho que me proporcionas em cada palavra que me diriges pois sei que foste, mas foste à procura de algo melhor para ti... estaria a ser egoísta se não te deixasse partir, estaria apenas a pensar em mim, mas a verdade é que a vontade que tive de te deixar, entrar naquela coisa que te levou para longe de mim, era nenhuma!
tenho saudades tuas, como tu podes imaginar não é fácil viver sem te ter por aqui e eu já estava tão habituada à tua presença que as coisas ainda me pareceram mais estranhas e difíceis.
é tão estranho, como é que é possível? estás tão longe e tão perto ao mesmo tempo... estás a milhares de quilómetros e eu sinto-te como se tivesses a 2 centímetros de mim. tenho a necessidade de falar contigo quase diariamente, pois preciso que me contagies com essa tua grande alegria e essa tua grande capacidade de me veres bem, esse teu lado mais protector, tal como se fosses minha irmã mais velha e na verdade é o que és!
és como se fosses a minha irmã mais velha, afeiçoei-me tanto a ti que o choque foi enorme ao saber que tinhas de ir embora... mas eu sempre que me lembro de ti, lembro-me de ti a rires-te, lembro-me de ti chorares de tanto te rires, lembro-me de ti linda, lembro-me de ti na tua forma mais natural! e é isso que faz com que sejas inesquecível, tão recordada em tantas épocas.
um dia vou ter contigo, voltaremos a ser felizes e a partilhar grandes momentos, tenho tanta coisa para te contar e mostrar...
um grande ATÉ JÁ para ti amiga!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

tu aí, tens sido o meu abrigo

quando olho para ti cresce dentro de mim uma enorme vontade de lutar e vencer, quando olhas para mim dizes-me tudo num segundo, quando te chegas a mim já sei o que me queres dizer sem se quer me dizeres uma palavra... tens sido o meu abrigo, o meu grande abrigo, a pessoa a quem eu tenho recorrido, a pessoa que sabe o que sinto e que penso sem ser preciso pronunciar uma única palavra, tens-me entendido melhor que nunca e esta atenção permanente faz-me sentir única, única como só tu me sabes fazer!
és meu amigo, diria que neste momento o mais presente, o mais atento e o mais importante, mas talvez não o sejas de verdade, ou então estamos só numa nova fase desta GRANDE amizade... sei que contigo posso contar a toda a hora, até de madrugada se for preciso, sei que desse lado tenho sempre uma palavra amiga para as horas mais desconcertantes, mais angustiantes, não estás aqui apenas quando precisas mas também quando eu preciso!
adoro os nomes que me dás, mesmo não sendo de facto a realidade, porque tu és tu e sabes sê-lo melhor que ninguém! não precisas de copiar outras pessoas porque és lindo de todas as maneiras e não gosto quando "brincam" contigo mesmo sabendo que é tudo uma questão amigável sem qualquer forma de te agredir.
e eu amo-te, amo-te, amo-te! por tudo o que tens feito por mim nestes últimos tempos, e por tudo o que já não fizeste em tempos quase inimagináveis, pois já não me vejo sem ti!
ao teu lado os meus olhos brilham, pois são iluminados por ti... é como se eu fosse a Terra e tu o Sol, uma grande estrela capaz de iluminar tudo o que te rodeia... és uma estrela, a minha estrela!
contigo, deixei de estar sozinha!
e já agora, amo-te.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

in love

não sei o que me conduziu até ti, não sei o que fez com que os meus olhos procurassem os teus, não sei o porquê de seres tu, porquê tu no meio de centenas de pessoas... mas a verdade é que por mais que tentasse desviar o olhar de ti eu encontrava-te, não me saíste da cabeça durante todo o dia, não falei em mais nada, não me importei com mais nada, e mais nada me tirou o sorriso que estava estampado no meu rosto. senti-me bem com o facto de tu estares lá, e mal quando olhei e já não estavas; tomaste conta do meu sentido de humor durante os últimos dois dias. sinto-me apaixonada, uma paixão fictícia talvez... a tua voz é música para os meus ouvidos, os teus movimentos, o teu sorriso, o teu olhar, a tua maneira de estar, o teu jeito de olhar para as pessoas como se todas fossem o teu destino, como se visses o que vinha a seguir, é fantástico o teu jeito, a forma como andas, a forma como falas... ou então é tudo mentira e só eu é que vejo isso, e tu na verdade não passas de mais uma pessoa no mundo, tão vulgar quanto qualquer outra, e não me marcaste de uma forma extraordinariamente estranha...

sábado, 9 de outubro de 2010

paixão, onde estás tu?

sinto falta de estar apaixonada, sinto falta de sorrir ao ler as mensagens de alguém, de adormecer a pensar em alguém, de fazer disparates na rua para chamar a sua atenção, de sentir as tais borboletas na minha barriga, de enrolar as pontas do cabelo quando se faz notar pela sua presença, de beijar com paixão, de abraçar com paixão, sinto falta de depender do bem estar de outrem para estar bem, sinto falta de não parar de falar noutra coisa senão nele!
quero voltar a apaixonar-me por alguém, sentir o que em tempos senti por alguém, sonhar toda a noite com a mesma pessoa, só pensar naquela pessoa, quero voltar a andar a chuva e a fazer coisas que não devo por alguém, quero voltar a escrever para alguém que sabe o quero dizer desde a primeira palavra!
desejo que o fogo da paixão que está dentro de mim se volte a acender, e que o meu coração volte a bater por um rapaz que me faça feliz mas também que me faça triste porque a paixão é linda! e a paixão também são lágrimas.
VOLTA PARA MIM SE ESTIVERES A FIM, PAIXÃO!


indecisões nocturnas

tinha a certeza de que naquela noite seria o sofá da sala que me ia aturar, daí pus uma almofada por baixo da cabeça e a minha zebra por cima de mim, meti os phones nos ouvidos e pensei... pensei... e voltei a pensar... lembrei-me de tudo o que vivi nestes últimos tempos, em todas as pessoas que entraram e que também já saíram da minha vida, nos meus amores de verão e o quão espontâneos foram eles...
nesta noite enquanto o vento soprava e o frio se fazia sentir lá fora, eu acariciava a minha cadela e enquanto isso era invadida por milhões de interrogações, algumas bem fundamentadas, outras nem tanto, mas não tinha a certeza de nada... talvez não tivesse sido capaz de dizer tudo o que havia a dizer a uma certa pessoa, ou seriam várias? talvez me tivesse comportado mal com algumas das pessoas mais importantes da minha vida, ou seria tudo fogo de vista? talvez não soubesse o que queria fazer do meu futuro e só andasse a fazer com que os meus pais, as pessoas que mais amo na minha vida, gastassem dinheiro em prol de nada, ou então era só uma cena do momento? talvez eu te amasse, ou então não... talvez tu sejas importante, ou então não... talvez tu mereças que eu te compreenda, ou então não... talvez respeite as tuas decisões, ou então não...
acordei e passava pouco das 5h da manhã, deparei-me com a televisão ligada, a luz ligada, o telemóvel cheio de mensagens e chamadas não correspondidas, levantei-me e fui até à minha cama, mandei uma msg sem certezas do que estava a escrever, apaguei a luz e dormi... tinha deixado todas aquelas dúvidas no sofá da sala e agora, com a cama limpa, consegui dormir, mais confortável e com a cabeça na minha almofada preferida, cerca de mais 5h até ao momento que a minha mãe me acorda e diz que vai trabalhar...  x:
bem, mas que noite!  |:

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

quem és?

dava milhões para te voltar a ter como te tive durante umas semanas! fazias com que os meus olhos brilhassem tanto que poderia mesmo alcançar o brilho exaustivo do Sol, a minha barriga parecia que era um ser aparte de mim, mexia-se tanto e de uma forma tão irregular...
acordava e tu já estavas ao meu lado a ver-me dormir com a máxima atenção do mundo, levantava-me e tu já estavas em pé para me ajudares a andar, estavas sempre a um passo à frente de mim, sabias quase sempre o que vinha depois, e depois, e raras eram as vezes em que o teu instinto te atraiçoava! contudo e numa manhã bem diferente de todas as outras, quando acordei e olhei para o lado e tu não estavas lá, tentei-me levantar e começar a andar e acabei no chão. por um lado, queria-me voltar a deitar e adormecer há espera que tu voltasses, mas por outro sentia uma grande necessidade de tentar explicar a mim própria o que te fez sair mais cedo da cama naquela manhã. Escolhi a primeira opção, mas antes de me deitar fiz questão de me aconchegar a alguma coisa que ali estava e de esfregar bem os olhos para que se quando acordasse e tu estivesses ali, a imagem me parecesse ainda mais nítida do que aquilo que na verdade era.
dormir durante cerca de cinco horas, e nesses momentos sonhei contigo desde que fechei os olhos até que os abri, imaginei sítios por onde passamos e sentimentos que exprimimos um pelo outro de forma tão sincera... mas, quando acordei e olhei para o meu lado direito apercebi-me que desde inicio era um sonho e que eu nunca tinha caído ao chão, nem que nunca tu tinhas planeado o nosso dia em prol do meu sentido de humor, em vez disso tinha um espaço vazio na cama como se em tempos tivesse sido ocupado por alguém, mas que naquele instante estava a ser ocupado pelo meu telemóvel com uma mensagem aberta tua que dizia uma conjugação de palavras bonitas (a qual teria sido enviada a cerca de quinze dias).
perante aquela situação, fui a janela e já nem o Sol brilhava como o fizera todas as manhãs, gritei pelo teu nome e apenas uma voz do outro lado do corredor me respondeu dizendo "quem chamas tu, Ariana?!"

sábado, 2 de outubro de 2010

?

INSPIRAÇÃO ALIA-TE À MINHA VONTADE DE ESCREVER E VOLTA PARA MIM!  :x

domingo, 5 de setembro de 2010

conjugar o verbo desistir?

olho para ti e vejo a pessoa que és, não acho piada ao facto de tu te esconderes por de trás dessa máscara.
preferia mil vezes que te desses a conhecer pela tua própria vontade.
obrigas-me a explorar o teu mundo, a invadir o teu espaço quando a única coisa que preciso é sentir o teu abraço.
preferia mil vezes que me disseses que querias desistir pois aí estariamos a ser Homem e jamais me sentiria frustrada por não conseguir chegar até ti.
não te compreendo, não me cabe na cabeça o porquê de me abandonares depois de tudo aquilo que passamos. os teus lábios falam, em conjunto com os teus maravilhosos olhos, não consegues fazer sentir-me Mulher e aí, aí eu conjugo o verbo desistir de todos os modos, em todos os tempos. não consegues fazer com que o meu instinto se apodere desta realção, não fazes com que eu me sinta feliz ao teu lado, ficas na tua e não me fazes feliz
Sinal de covardia? Tu sabes que é uma das hipóteses e depois tentas desculpar-te com os teus problemas de auto-estima!

eu desisto
tu desistes
ele desiste
nós desistimos
vós desistis
eles desistem

domingo, 22 de agosto de 2010

és qualquer coisa

não te sei dizer o que sinto por ti, não consigo exprimir este sentimento, nem se quer sei se ele é puro e verdadeiro. é estranho o que digo, mas ainda mais estranho é o que sinto... 
tento-me descodificar, tornar as coisas mais claras na minha cabeça, mas nada. parece vazia quando puxo por ela, mas por outro lado quando fico parada e pensativa sinto-me a rebentar de sentimentos perante a tua pessoa. é tranquilizante a forma como eu imagino uma união da nossa parte, é ainda mais cativante a curiosidade que eu sinto quando falo em ti ou no que poderá vir a acontecer, é estúpido já que te encontras tão distante do ponto de partida e  quase a chegar a tua meta.
não, não te quero deixar nem por um segundo mas por lado, e aí tens de entender, que eu não sou de ferro e se estou quase sempre a rir e feliz, noutras situações vou-me completamente abaixo e fico sem forças para fazer seja o que for. 
não, não quero ficar de novo contigo e ter-te apenas a ti na minha cabeça porque esses tempos desgastaram-me muito e dei demasiado de mim a uma pessoa como tu. na altura eu sabia que era isso que tinha de fazer, não havia outra solução, porque era assim que eu me sentia mas o pior de tudo foi o facto de essa ser a única coisa que fazia sentir nas nuvens, mais nada. eras como uma droga, que eu precisava de "tomar" para me sentir bem, eras o meu vicio e por isso é que eu exigia demasiado de ti...
às vezes pergunto a mim própria se não devia estar arrependida por ter vivido apenas para aquilo, mas sempre que o faço só surge uma e somente uma resposta "teria-me arrependido se não o tivesse feito" e aí sim, era razão para eu me castigar e não ser feliz, não teria aproveitado uma das melhores coisas da vida: a paixão! esta paixão com uma chama quase incessante, mas que, e como tudo, se apagou. e agora? 
tu fazes parte do meu passado o que toca àquele sentimento, mas em relação ao que sinto hoje estás bem presente em mim! porque sempre mereceste que eu te chamasse de amigo, de um verdadeira amigo!

sábado, 14 de agosto de 2010

nunca pode estar sempre tudo bem, pois não?

é estranho, cruel até, a forma como lidaste com esta situação. não consigo entender o que te passou pela cabeça quando decidiste ir embora. por um lado, não quero que voltes pois sei que me magoarias como o fizeste desta vez, mas por outro, quero voltar a olhar-te nos olhos e a entender tudo o que queres dizer, através do teu imponente olhar.
desonesto é o adjectivo que te consigo atribuir, uma falsidade tremenda levada ao expoente da insensibilidade, da tua parte.
 no verso da moeda pensava eu que estava um ser humano ainda melhor do que aquele que me tinhas mostrado, mas não: era de facto o teu inverso, ou talvez a tua realidade.
quero-me exprimir, mas já nem isso consigo! escrever era a única forma que eu arranjava para conseguir ultrapassar os meus problemas, mas nem isso, nem isso restou. tiraste-me as palavras, as letras de cada frase, já não escrevia há mais de uma semana, por mais tempo que estivesse aberto o blog só conseguia mesmo era ler, ler o que as outras pessoas escreviam, ler o que eu queria escrever, mas não conseguia! a criatividade faltava-me, as minhas mãos permaneciam estáticas, insensíveis às chamadas do meu orgão propulsor.
impressionante no estado que tu me deixaste, possivelmente não tu, mas os teus actos, talvez nem esses fossem os culpados para explicar a situação em que me encontrava, se se pode chamar encontrar...
quantas vezes te perguntei se era isto que tu querias? mas tu só dizias para eu não te abandonar, só pensavas em ti e no teu bom estado de espírito, mas tenho a certeza que esse se encontra numa lástima, porque não me acredito que Deus esteja de acordo com o teu comportamento. a tua personalidade incrivelmente derrotista, não te deve deixar dormir, não é? enquanto eu durmo horas a fio, num sono tranquilo, alimentado por sonhos que quero realizar.
não, não me derrotaste, aparentemente estou frágil, mas cá por dentro estou indestrutível, sinto-me mal contigo, mas óptima comigo e com o nosso Criador, pois sei que ele é Único e que me vai sempre ajudar a ultrapassar todos os meus obstáculos.
nem sempre foste o mau da fita, como achavas ser. por vezes, mostravas-te apto para tal relacionamento, mas raras eram as vezes que falavas verdade, e como preferias tantas vezes o caminho da mentira nunca fizeste valer a tua opinião, julgavam-te e caías, nunca te soubeste levantar, nunca tiveste uma personalidade suficientemente forte para o fazeres, era sempre muito mais fácil ficares no chão e teres um monte de gente à tua volta... fazias sempre por chamar a atenção!
acho inútil o acto do suicídio, porque se aqui estamos é por alguma coisa, uma razão transcendente a todo o ser humano...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

desculpa, mas não vou ficar aqui a ver matares-me

enganei-me a teu respeito: sempre pensei que o querias era uma pessoa ao teu lado que te compreendesse e estivesse sempre contigo, para o mal e para o bem...
mas afinal o que tu querias era mais uma, apenas isso! disseste e repetiste para eu nunca te deixar quando tu, sim tu, foste tu, que me deixaste... abandonaste-me, sem me dizer uma única palavra, partiste naquele e não esperaste que me explicasse, não quiseste ouvir a minha palavra e só pensaste na tua pessoa e o quão bem ela teria de estar, mas mesmo assim eu gosto de ti, porque apesar de não te conhecer assim há tanto tempo tu cativaste-me e fizeste com que eu sofresse por ti. tudo aquilo que me disseste fez-me sonhar e voltar acreditar, fez-me querer mais, quando o que tu querias era apenas uma diversão. brincaste comigo e com aquilo que eu tenho dentro de mim, todo o meu poderio foi entregue a ti, mas tu não quiseste saber e mais uma vez me iludi, mais uma vez tive de bater com a cabeça na parede para acordar!
sentia as paredes desta sala aproximarem-se cada vez mais de mim, era como se o grande planeta azul se transformasse num pequena circulo com o qual poderíamos jogar uma partida do desporto rei. eu própria já não sabia como lidar com esta situação, ou ficava ali ver-te matar-me ou saía a correr e impunha mais uma vez a minha independência perante uma pessoa como tu.
é ridícula a forma como tu queres olhar a tua vida, e esqueceste que não és o único habitante deste imenso universo, pensas que apenas tu tens problemas quando muitos desses és tu que os crias na tua cabeça e passam a ser fruto da tua fértil imaginação. esqueceste que há sentimentos e que não és tu, apenas, que os possuis e que se estás magoado é porque há outra pessoa no mundo que pensa igual a ti... mas tu não queres mudar, preferes permanecer na ignorância e não consegues abrir os olhos e acordar para a vida. queres permanecer num mundo inteligível, em que não és tu que mandas na tua pessoa mas, sim, és tratado como um fantoche que não pode sorrir muito e que não tem poder de decisão!
desculpa, mas não vou ficar parada a ver matares-me, um dia quando aprenderes a deixar de olhar apenas para o teu umbigo, volta a falar comigo, vou saber perfeitamente como lidar contigo e voltar a fazer-te acreditar em mim.
até aí, gosto muito de ti!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

descodifica-te

não sei o que senti quando te vi pela primeira vez, um misto de sentimentos apoderaram-se de mim e não tenho como explicar isso.
queria tentar entender-te, mas tu fechas-te em copas e não me deixas se quer aproximar-me de ti, já pensaste em mim e em como em deixas quando te comportas desta maneira?! gosto muito de ti, mas tu não queres saber, mostraste indiferente quando o digo, falas com uma frieza desoladora, não me deixas fazer parte de ti, não me deixas preencher-te...
sinto-me magoada quando és duro comigo, sinto-me triste quando estás mal e não me contas porquê, ouve o que tenho para te dizer posso-te ajudar!
já pensaste que posso estar a tentar fazer com que confies em mim?
apesar de todos os teus defeitos, as tuas virtudes falam muito mais alto e só te tenho a agradecer por tudo aquilo que me tens proporcionado nestes últimos dias!
Gosto muito de ti, já sabes que estou aqui contigo para tudo o que der e vier!
és lindooooooooooooooooooooooooooooooooo, por dentro e por fora...

sexta-feira, 30 de julho de 2010

um Grande ser humano

Quantas vezes durante a nossa vida ouvimos falar este homem, seguido de risos e gargalhadas estrondosas? o Homem com "H" grande! um Grande homem!
Deus abençoe todos aqueles que este Senhor deixou cá!
Descansa em Paz!
António Feio, a Pessoa que fez rir este Portugal que mesmo em plena crise se deixava cativar pela sua boa disposição e vontade viver!
1954-2010
Até Sempre NOSSO António Jorge Peres Feio!

terça-feira, 27 de julho de 2010

não consigo escrever!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

és UM!

sempre te admirei, essa tua paixão pela vida e pela felicidade que o acto de viver te transmitia, essa tua vontade de correr riscos e de descobrir o que estava para lá da última estação, sempre me cativou a tua opinião acerca do que era verdadeiro e, de facto, aproveitável nesta vida...
sempre estive do teu lado mesmo durante todas as nossas discussões, mesmo que não parecesse a admiração continuava presente, apesar de toda a raiva que eu tentava transmitir em cada palavra que te dizia, sempre tentei mostrar que estava contigo para o que desse e viesse mesmo não achando que tivesses razão porque sabia que tu tinhas as tuas condições...
ficaste sozinho, tiveste de construir quase uma nova pessoa a partir daquela que já possuías, perdeste tudo apenas por uma pessoa. abandonaste tudo o que tinhas, todas as tuas coisas que tinhas quase dadas como certas, estiveste no limite de cair do abismo, estiveste mesmo no fundo do poço e mais uma vez deste-me mais uma razão para te admirar de tal forma, conseguiste superar, conseguiste voltar a ser a pessoa extraordinária que eras e dar a volta por cima...
conquistas-te corações mais uma vez, mas sabes lidar com isso melhor que quase toda a gente... tens os teus pontos fracos, os teus defeitos, mas estes não conseguem falar mais alto quando as tuas virtudes se impõe! orgulho-me de ti, porque não te resignaste à vida que tinhas, quiseste melhor e lutaste para isso... foste muitas vezes abaixo, mas mesmo assim conseguiste estar no topo novamente, já que esse é o teu lugar ao sol.
passaste por muitas tempestades, tomaste variadíssimas decisões erradas, decisões essas que ainda hoje te atormentam.
consegues dar-me um sorriso, mesmo quando estás mal! admiro-te como não admiro outra pessoa, não quer dizer que sejas a pessoa que mais admiro, mas desta forma és único!
sabes como lidar com os problemas, e sabes desafiar até a lei da gravidade, e todas as outras que um dia os homens implementaram em várias situações do quotidiano...
sabes dar a volta por cima como mais ninguém o faz!
és protector, crias barreiras para que não atinjam quem tu mais amas, de quem tu mais gostas. proteges-nos como sendo teus, e não deixas que nada nem ninguém destrua aquilo que nós construímos como uma FAMÍLIA, que somos!
és sábio, mesmo não passando anos a estudar para o seres! tens duas coisas às quais se chamam de carisma e personalidade, e sabes porquê? porque quando tens a certeza que estás correcto no que achas/dizes lutas para levar a tua avante... e não deixas que nenhum ser humano se aproveite de ti. estás para a vida como um oásis no deserto!
mesmo não te dizendo isto todos os dias das nossas vidas: eu gosto muito de ti...
e mais uma coisa: IRMÃO TENHO SÓ UM, TU E MAIS NENHUM! e se pudesse trocar-te por outra pessoa de quem gostasse muito, não o faria porque todos temos um lugar e tu sabes preencher o teu como ninguém melhor o faria!
Mário Cláudio Machado Almeida!
sangue do meu sangue

segunda-feira, 12 de julho de 2010

11.07.2010

sinto a tua falta!
sinto a tua ausência, mais do que a tua presença...
sinto-a em cada palavra que me diriges, sinto-a em cada olhar que me lanças, sinto-a nas tuas mãos e no teu abraço, sinto-a em mim, mais patente e mais forte que nunca.
queria deixá-la! queria que me guiasses até ti como já o fizeste, um dia! queria que voltar a estar contigo e saber que estavas ali, que não estavas no mundo da lua, que me estavas a ouvir (apenas a mim)...
sinto a tua falta!
sinto-a mais do que qualquer outra coisa que envolva a tua pessoa. quero voltar ao que tinhamos, queria que conseguissemos fazer com que nos rissemos uma da outra como em tempos o fizemos... sinto-me perdida, sem ti... por muito que não o demonstre, tu és das pessoas mais especiais que conheci nos últimos tempos...
sinto a tua falta!
soulmate, ainda estás aí? és capaz de me perdoar? eu sou capaz de o fazer... eu sou capaz de lutar por ti com todas as minhas forças...
sinto a tua falta!
cheguei-te mesmo a perder? abandonaste-me por completo? já não te digo nada? a nossa (grande e verdadeira) amizade já não faz parte das tuas melhores relações afectivas?
sinto a tua falta!
preciso de ti,volta para mim...
são quase 3h da manhã e fui capaz de chorar ao ouvir A música e ler O texto! falo no singular, porque nesta amizade é esse o termo que se usa para expressar o que é NOSSO...
sinto a tua falta!

domingo, 11 de julho de 2010

o que és?

que espécie de pessoa és tu, a quem me entrego de corpo e alma, no qual me baseio para atingir objectivos? que tipo de relação tens tu comigo, para eu viver tão dependente dos teus olhos? o que queres tu de mim quando me abandonas e me deixas a chorar num beco sem saída? precisas de mim? algum dia me disseste algo que não me fizesse duvidar? foste verdadeiro até ao ponto de me amar como se mais nada houvesse, como o dizias? as lágrimas das quais falavas eram, de facto, reais? tenho medo e não consigo confiar em ninguém, porque tenho receio que voltem a fazer o que tu, um dia, me fizeste! o que dizer mais? sabes que ainda sofro por ti e por este tão inequívoco passado!
não te peço para me deixares, porque tu já tratas-te de o fazer... mas mesmo que não o tivesses feito, eu ir-te-ia pedir para o fazeres, porque existem situações e factos que não mudam nem que se superam com o tempo, e sei que muitas asneiras já fiz, mas tu também as fizeste! e agora? de quem é a culpa? quem vai arcar com as consequências? os próximos que aí vêm merecem que o façamos? ou devemos nós arcar com as consequências dos nossos actos e lutar contra esta mesquinhice que, perante esta insolente vida nos conduz diariamente? somos pessoas, ou animais irracionais? de uma coisa tenho a certeza, muitas vezes eles conseguem pensar mais do que qualquer um de nós, os chamados "seres pensantes"...
és estranho, duro, és cruel como o destino para o qual estamos a ser conduzidos devido aos nossos maléficos actos...
fria? nunca o fui... talvez, um pouco realista... ou talvez seja o meu fluido circulante, no qual foram implantados pedacinhos de sangue de um grande escritor verídico, a falar mais alto!
os sonhos não se desfazem, nós é que não somos capazes de olhar para eles como os nossos melhores amigos, com os quais queremos passar o resto da nossa vida!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

desculpa

desculpa, desculpa, desculpa!
afasto-me sem saber o porquê, sem ter uma razão óbvia para o fazer, sem me entender a mim própria... faço-o porque sim, quero voltar atrás, mas quando o tento fazer dou dois passos à frente.
desculpa, desculpa, desculpa!
não te quero fazer sofrer, és demais para que isso aconteça! és uma parte de mim fora do meu corpo, és algo trancendente, para o qual não tenho explicação, mas também não tenho de o ter, porque não é isso o mais importante. mas sim o que vem de dentro, algo bem mais interior, que não deriva da opinião de outrém...
desculpa, desculpa, desculpa!
ainda choro, ainda sinto, ainda TE sinto, ainda me rio, ainda me aqueces o coração! e porquê? não tem razão, sinto-me feliz sem explicação..
obrigada, obrigada, obrigada!
desculpa, desculpa, desculpa!
duas palavras tão próximas, tão rápidas de se dizer, tão fáceis de se pronunciar, tão simples de se colocar na mesma frase...
pode-se agradecer, pedindo-se desculpa... e aí: entras tu, com um grande um sorriso, e o maior par de braços que consegues arranjar e ABRAÇAS-ME!
para quêm? não sei  (':
eternidade? será que essa palavra existe de verdade? ou será apenas uma forma de nos comprometermos com o futuro?  o:

sábado, 3 de julho de 2010

tributo a Bruno Alves!


«Muitas raras vezes vi um jogador de futebol fazer um percurso tão extraordinário quanto Bruno Alves. Quando, há uns anos, o então inofensivo Benfica quebrou um jejum de largos anos e ganhou no Dragão por 2-0, Bruno Alves estava praticamente a ensaiar os primeiros passos no FC Porto e a sua prestação foi má demais: teve culpa num golo, ofereceu outro e acabou expluso depois de agredir Nuno Gomes, num acesso de descontrolo. Achei então que não havia futuro para ele no FC Porto. Mas - e com Jesualdo Ferreira - ele soube contrariar um destino que parecia traçado: em dois ou três anos, tranformou-se num dos melhores defesas centrais do mundo. É inigualável em poder de impulsão e jogo aéreo, inultrapassável em entrega ao jogo e atitude competitiva, e brilhante na ocupação de espaço que defende e na leitura de construção do jogo de trás para a frente. É verdade que muitas vezes se excede na maneira como entra às jogadas e aos adversários, mas só quem nunca jogou futebol e nada entende do jogo pode confundir isso com anti-jogo. Muitos outros que aí estão, bem menos exuberantes e generosos na entrega ao jogo, procuram, não a bola, mas as canelas dos adversários, à socapa, disfarçadamente, cobardamente - mas magoando e deixando mossas.
Ele, não: nunca partiu a perna a um adversário (o Mossoró ou o Anderson que o digam...), nunca remeteu alguém para o estaleiro e passa jogos inteiros (que ninguém repara) sem cometer uma única falta. Sim, tem mau feitio a jogar - mas nisto, e como em tudo o resto, prefiro mil vezes as pessoas com mau feitio e bom carácter do que o oposto. (...) /
As virgens púdicas que por aí proliferam quiseram, uma vez mais, crucificar Bruno Alves pela sua actuação no Algarve. (...) em nenhum deles (dos quatro lances polémicos) vi jogo subterrâneo e sujo, vontade deliberada de aleijar o adverdsário. Vi, sim, excesso de atitude e de entrega, raiva pelo decurso do jogo. (...) Não mais do que o desespero de um vencedor, perante a derrota, como quando apontou para o emblema do clube e mostrou os quatro dedos, um por cada campeonato que ele e os companheiros conquistaram - e que deveriam merecer mais respeito das indignadas virgens. Primeiro, diziam que ele já não se entregava à defesa da camisola que veste porque o clube não o deixou sair; mas depois, afinal, é de excesso de entrega que é acusado. Mas, em Junho próximo, quando ele estiver vestido com as cores da Selecção, o país vai torcer para que Bruno Alves seja igual a si próprio e para que todos os outros se entreguem ao jogo como ele. E se, depois do mundial e como todos desejam, ele sair mesmo para o estrangeiro, aí vira herói nacional e a mesma imprensa que agora o massacra vai passar a idolatrá-lo.
Tão certo como eu me chamar Miguel.
Força, Bruno, não se preocupe: ao contrário do que possa parecer, as vozes de virgens não chegam ao céu

Miguel Sousa Tavares - Jornal "O Jogo"

quinta-feira, 24 de junho de 2010

my best friend forever!












melhor amiga! é um gosto ter-te comigo.
amo-te e como tu? Não há!
meu polegar da mão direita!  (y)

terça-feira, 22 de junho de 2010

sim? não? talvez?



sim, eu quero-te de volta, eu quero-te comigo, eu quero que as nossas vidas se unam como já estiveram (um dia), preciso de ti, do teu cheiro, do teu toque, do teu olhar...
não, não quero retomar isto, não quero voltar a alimentar a nossa história, não quero voltar a abrir o nosso livro, não consigo viver assim, não te vou aceitar novamente, não quero te quero voltar a ver e nem sei como reagir se isso acontecer...
talvez, talvez eu te ame, talvez eu te queira, talvez eu não consiga viver sem ti, talvez as nossas vidas se voltem a unir, talvez eu precise de ti, e de todos os teus componentes, talvez eu queira retomar a nossa história e escrevê-la com o maior entusiasmo, talvez eu queira acabar com tudo de vez, talvez eu me queira desligar de ti para sempre, talvez isto nunca fizera sentido, talvez eu desespere por não te ter, talvez sejas tão importante como há um ano...
é tão complicado que nem eu sei o que quero, o que amo e o que preciso, não tenho certezas do certo e do errado, a minha vida não faz sentido! para quê todo o sofrimento de viver se vamos todos acabar por aqui voltar? ou não vamos? isto tem um fim certo? acaba de vez?
a vida... o que significa essa palavra, afinal? o que nos transmite quando pensamos nela, pensamos também no seu fim, na MORTE?!

sábado, 19 de junho de 2010

é muito confuso


na verdade sempre gostei de ti, sempre fizeste com que o meu coração batesse mais forte quando estavas comigo, na verdade sempre me provocaste o efeito borboleta na barriga quando ouvia a tua doce voz, na verdade isto sempre foi muito sincero e verdadeiro! mesmo quando te dizia que não gostava de ti, mesmo quando tu me fazias acreditar que as coisas tinham futuro quando na verdade já estão destinadas ao fracasso mesmo antes de algo começar. sempre me iludiste dando dicas de que o fazias, mas na verdade eu não acreditava ou não queria acreditar porque a meus olhos eras perfeito e jamais o farias segundo o meu coração. sempre me deste muito de ti, sempre com uma mão a dar e outra a tirar, sempre me mataste com pedacinhos do teu veneno poderoso ao qual eu chamo de amor. talvez fosse uma maneira de me fazeres acordar, mas quanto mais o fazias, mais eu adormecia e sonhava em teus braços ou pelo menos era no que queria acreditar. sempre te amei, qualquer pessoa o pode confirmar, assim como ainda te amo, fazes parte de tudo em mim... mesmo longe, tens esse efeito. na minha memória ficaram para sempre as nossas imagens: tu a dares-me a mão e eu com um sorriso de orelha a orelha, ou mesmo os meus olhos derramados em lágrimas e tu do outro lado da rua sem saber o que fazer, completamente desorientado. não me perguntem se isto tem uma razão de ser, porque essa é a maior interrogação que tenho dentro de mim! apenas sei que isto é confuso, muito muito confuso! omg, o que será feito de mim? :o

quinta-feira, 17 de junho de 2010

pergunta retórica

quantas vezes passei por ti e tu viraste a cara?
quantas vezes olhei para trás e tu com outra?
quantas vezes eu chorei e tu ignoraste?
quantas vezes eu tentei e tu deste-me para trás?
quantas vezes?
quantas vezes o meu verbo foi pôr e o teu tirar?
quantas vezes o meu numero foi infinito e o teu menos infinito?
como és capaz agora de investir aqui?
como és capaz de dizer que já tentaste?
como és capaz?
como és capaz de me crucificar quando tu é que erraste?
quando é que vais crescer, se algum dia o fizeres?
quando é que me vais amar?
como é que vou viver nesta ilusão? não viverei? desistirei de ti?
porque é que tu o fizeste mais uma vez?
para quê mais uma luta da qual saio sempre derrotada?
quantas vezes o irás repetir?
para quê me fazer sofrer? ganhas com isso?
és vida em mim! não quero outro! não me faças sofrer!
repiro o mesmo ar que tu, mereço o respeito que tu mereces.
amo-te como nunca amei outro! (L)

quarta-feira, 16 de junho de 2010

(re)conquistar!

a tranquilidade da tua pessoa, a intensidade do teu olhar, a loucura do teu toque, o cheiro da tua pele, a bondade do teu coração, o teu amor próprio e o teu orgulho tão desmotivador, a tua beleza interior e, um pouco, exterior, a tua forte personalidade, a tua grande luta diária... Foi isto e por isto que eu não desisti e ainda não desisto, foi isto que me fez apaixonar-me por ti, foi isto que me chamou a atenção em ti, foi a tua honestidade que fez com que as nossas vidas se cruzassem, foi todo este mundo que te rodeia que fez com que eu olhasse para ti mais que uma vez, e visse a grande pessoa que és e grande alma que tens! foi por isto, apenas.
mesmo longe, mesmo sem falarmos a tua voz é captada pelos meus ouvidos e ouvida pela minha cabeça, ainda fazes com que os meus lábios se abram e se estiquem, espanta-me a tua creatividade em termos de sentimentos, admira-me a vitalidade, diverte-me a tua espontaneidade e naturalidade, alegra-me a tua força de vontade, a tua força de viver.
como vês, és uma pessoa-modelo! desconhecia a existência de tal atributo hoje em dia e encontrei-o desde o momento em que te conheci. Estás bem presente em mim, porque eu quero que estejas e não por obrigação. Foi como uma decisão facultativa que me proposeram e que optei pela positiva, por ficar contigo na minha vida até que algo bem mais transcendente nos separe... não é nada físico, é algo muito mais superior: é algo interior, algo bem mais profundo e verdadeiro.
portanto, nunca te direi "adeus", definitivamente!

terça-feira, 15 de junho de 2010

today

hoje tudo foi diferente, a nossa cumplicidade era reconhecida mesmo à distância,
hoje foste presente,
soube que hoje as coisas estão como estavam há uns tempos,
hoje sorri, não só por mim, mas também por ti.
subiste alto, muito muito alto, chegaste onde mais ninguém consegue, captaste tudo o que podias e não podias, entregaste-te a mim como dantes, vencemos juntas mais uma batalha!
como já te disse és o meu polegar da mão direita, em quem eu me revejo, por quem eu sou feliz e luto, ninguém te tira esse lugar, porque tu fazes-me bem.
Ontem falhaste, mas hoje acertaste em cheio. Estivemos como dantes, obrigada por isso.
És linda, e não podia deixar de te fazer este pequenino resumo, porque tu sabes: ESTÁS PERDOADA, MAS NÃO ME ESQUECI! No entanto, não vale falar mais no assunto, o que se passou passou e não vou voltar atrás na minha palavra, porque tu sabes o que vales e sabes o que representas! Não vale a pena dizer mais, és a minha melhor amiga!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

ups, falhas-te

podia ter sido o melhor começo de férias já que me encontrava com algumas das pessoas que mais amo neste mundo, mas...
mas não foi, foi o pior possível! fiquei parva com tal comportamento, com tal atitude. a tua presença era ultrapassada pela tua ausência tão próxima, a tua companhia era ultrapassada pela tua desistência tão complusiva quanto, a meu ver, icompreensiva. não sei o que te deu, mas nunca antes me tinhas encarado daquela maneira! deixaste-me triste e desiludida, posso até ter sido teimosa ao não aceitar as tuas "desculpas", mas estava-me a sentir mal: traída e incompreendida pela pessoa mais importante da minha vida!
estou magoada e sinto-me ofendida, desolada não só comigo mesma mas também contigo!
fico apreensiva ao falar neste assunto, e com receio que volte a acontecer já que te mostras tão cúmplice, pena é não ser comigo!
não fiquei contente com o dia de hoje, mas quem sou para julgar seja quem for?! quem sou eu, afinal?! quanto valho, para esta gente?!
NÃO, não me estou a fazer de vítima! Apenas estou a tentar fazer com que a minha opinião seja ouvida, já que tu não foste capaz de me ouvir, HOJE!
ups, falhaste cbf! :'x

sábado, 12 de junho de 2010

indefinido!

por tanto te amar, odeio-me
por tanto te desejar, desiludo-me
por tanto acreditar, desisto
por tanto me marcares, choro
por tanta diferença fazeres, choco-me
por tanto querer voltar, afasto-me
por tanto te querer perdoar-me, condeno-me a mim
por te deixar fazer o que queres, esqueço-me de mim
por te dar a minha vida, castigo-me
por te dar o meu amor, perdi o meu amor próprio
por tanto te querer perto de mim, isolo-me
para dar sentido à tua vida, perdi-me na minha
por achar que te amo tanto, deixei de amar os outros
por me teres roubado tudo o que tinha, sorrio
por, um dia, me teres feito feliz, recordo do que fomos
por teres conseguido adoptar-me, revolto-me
por tanto me teres feito chorar, fico comovida
por tudo o que conquistas-te, admiro-te
por te ligar tanto, não vivi o que devia
para te conseguires sentir bem, usaste-me
por ser tua amiga, perdi amigos
para teu beneficio, prejudiquei-me
mesmo assim, hoje, digo que fomos felizes! como muita pouca gente conseguiu ser!
sabes o que fizeste, e os danos colaterais foram demasiado agravados.
uma gaivota voa livre por este céu que nos ampara de muitas radiações, mas por outro lado não nos poupa quando as nuvéns estão pesadas e precisam de brotar a água que carregam!
amo-te!

animais também marcam vidas *-*

Vai fazer 4 anos desde que tu apareceste... Olhamos pela janela, e lá estavas tu: perdida no teu próprio rumo, desorientada no teu próprio caminho. Olhas-te para nós e desde aí nunca mais nos esqueces-te, entraste em nós como uma bala capaz de perfurar o nosso orgão vital, não podes sair de lá porque a operação seria fatal. marcaste a nossa vida como nem uma pesoa é capaz de o fazer. amamos-te como se fizesses parte desta família, aliás de um certo modo até fazes: ADOPTASTE-NOS (como costumamos dizer :D), tiveste a liberdade de pensar em deixar a outra familia e abraçares esta, quiseste mudar a tua vida, mesmo sendo tu um animal :)
Estás velhinha, mas nem por isso te abandona-mos por aí, como muitos fazem. Tenho medo de te perder, tenho medo que um dia partas, tenho medo de ficar sem ti...
És um amor, és muito mais querida que muitas das pessoas que conheço, és linda, és educada, és teimosa, és pedinchona, mas eu gosto muito muito de ti!
Em cada festinha que te faço, dou-te um bocadinho de mim, do meu amor, porque sei que ficas muito feliz. E a maior recompensa que posso ter depois de te acariciar o pelo é sentir um ventinho fresco que a tua cauda causa ao demonstrares a tua grande felicidade :)
Kiara, obrigada por teres aparecido na nossa vida! Obrigada por tudo o que me dás diariamente!
Odeio-te quando me acordas às lambidelas, mas fora isso amo-te SEMPRE! (L)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Rebolation! :D

Acordei com uma grande vontade de sorrir! Talvez fosse da energia positiva que o meu sofá me transmitiu durante o sono já que passei lá a noite :)
Estou feliz, e disposta a infrentar o mundo para conseguir manter esta felicidade até à hora de me deitar na almofada e voltar dormir! Hoje ninguém acaba com isto...
Hoje apetece-me passar horas numa banheira cheia de espuma e sais, passar o creme no corpo, vestir uma roupa toda linda, e ir sair o dia TODO :D
Acordei de bom humor, acordei como já não acordava há muito muito muito tempo +.+
«Evax! Sente-te limpa, sente-te bem» ahahahahahahahahahhah (a)

quinta-feira, 10 de junho de 2010

a única excepção

No meio de tantas histórias bem e mal contadas estás tu, estou eu, mas principalmente estamos nós. Há uns tempos por consequência de mais uma dessas histórias as coisas não acabaram bem e uma grande distância entre nós se criou, fazendo com que nos afastassemos imenso.
Por outro lado a nossa amizade foi posta à prova... e não passou, mais uma vez. Guardamos uma quanta parte da mágoa que pusera fim a tudo, e fomos criticando várias atitudes que tinhamos, não aceitavamos o pedido desculpa, tanto eu como tu. Por mim, teria mesmo acabado ali, não te vou mentir.
Mas um dia, acho que algo fez despertar a minha atenção, algo em ti, para ser mais explicita e não consegui deixar de retomar a conversa que tinha sido interrompida numa outra altura...
Conversamos, conversamos horas a fio, as palavras saíam de nós como se fosse o ar que respiramos, notava-se que havia uma grande vontade de superar tudo, de voltar a ter o que tinhamos. As coisas foram melhorando, e o interesse de um ser por outro ia aumentando bruscamente, achava que era um sinal de boa esperança, queria acreditar que era possível.
Aí, apareceste tu, mais uma vez com um grande sorriso rasgado na tua linda face, mais uma vez com um par de braços abertos para mim, mais uma vez com um grande coração aberto para me receber. E eu correspondi, não queria se quer pensar na ideia de ficarmos mal novamente! Senita-me feliz e completa, sentia-me como a areia e o mar na zona de rebentação das ondas!
Não posso negar que o teu afecto me faz muito muito bem, não o posso fazer quando a verdade é essa mesmo. Sabes bem como me pôr a rir até cair para o lado, por isso já te ter chamado de tanta coisa...
As noites que passamos uma ao lado da outra, bem encostadinhas para nos aquecermos não seram esquecidas porque nem eu, nem tu, nem NÓS merece! :b Fazemos parte da mesma família, tu sabes que sim :$

E agora... Não me perguntem para quem é esta pequena homenagem, não irei responder. A pessoa a quem me refiro saberá :')

the past in the present

continuo a pensar em ti como no primeiro dia, continuo a sentir-me tão triste como no último dia, continuas a não me ser indiferente, como sempre o foste... o meu coração ainda bate por ti, as minhas memórias ainda não me falham quando o assunto és tu, as minhas mãos ainda soam quando falo ou falam em ti, por tão nervosa estar, ainda te sinto tão perto quando na verdade estás tão longe... ainda fico ansiosa quando ouço a nossa música, ainda me caiem pequeninas lágrimas quando vejo as nossas fotos, ainda te amo... AINDA TE AMO!
é impossivel esquecer o que me deste durante todo este tempo! é certo que o que tem de ser é mais forte, e no nosso caso também foi. abandonaste-me sem dó nem piedade, não pensaste em mim e em como eu me sentiria com a tua ausência, abandonaste-me só pensando em ti. foste egoísta, mas eu amo-te, mesmo assim amo-te!
como te disse muitas vezes, és imortal, na minha vida és imortal, no meu coração és imortal! és imortal porque assim o quiseste, marcavas a diferença diariamente, sabias como lidar comigo, sabias abraçar-me, sabias tão bem como me fazer sentir bem! admirava-te por isso, e agora?
Agora admiro-te por teres conseguido fazer com que os efeitos secundários se prolongassem durante tanto tempo! soubeste conquistar cada pedacinho de mim, soubeste como o fazer na perfeição. és único, por tudo o que me demontras-te; és perfeito, mesmo no meio de tanta imperfeição que te rodeia; destacas-te tanto pela positiva, como pela negativa! daí, a seres IMORTAL! daí a EU AMAR-TE! daí a eu lutar para TE ESQUECER!
qualquer dia, vamo-nos encontrar novamente, seja lá onde for!

terça-feira, 8 de junho de 2010

see you tomorrow

mais uma vez caí, mais uma vez chorei, mais uma vez abracei alguém que perdi no meu dia-a-dia...
Há uns meses não eras novo na minha vida, via-te à vários anos, mas acho que nunca tinha tido a oportunidade de te conhecer, coisa que se desenrolou no decorrer deste ano. Depois de tanta coisa que fizemos um ao outro, tinhamos conseguido ficar bem, e o ano acabou... tu vais para outra escola e eu vou morrer de saudades tuas! vais fazer-me falta, e não duvido que te faça a ti!
És fantástico à tua maneira, e ninguém te pode acusar de nada porque quase ninguém te conhece para tal. Como já te disse: marcaste-me, fizeste com que eu crescesse, ensinaste-me coisas novas, e eu agradeço-te imenso por isso!
Por um lado, fico feliz por te ter tido, e por já ter tido a oportunidade de te chamar de melhor amigo; mas por outro, estou de rastos por te perder, por tu me abandonares de uma certa forma, queria poder continuar esta caminhada contigo, mas por mais dificil que seja aceitar: acabaou, acabou hoje com muita pena minha.
Gosto muito de ti, aliás é impossivel não gostar depois de tanta coisa!
Confia em mim, para sempre.
Até amanhã Pedro Miguel Magalhães Nunes! (L)

sábado, 5 de junho de 2010

zen

apetece-me escrever, escrever por escrever, escrever para desabafar mais uma vez, já que é uma das maiores razões para manter esta página actualizado.
sinto-me bem, estranhamente bem até! sempre que inspiro sou invadida por uma paz completa, sempre que expiro sinto que essa paz me abandona, mas no momento asseguir estou novamente entregue apenas a ela. hoje, é como se fosse a minha melhor companhia, passou o dia comigo, estou sob o seu controlo, estou zen :)
ao som de uma música com uma letra fantástica, parece que essa paz ainda domina mais o meu corpo e a minha alma!
sorrio de uma forma estúpida, mando piadas parvas, gozo com a minha mãe, mas nem sei porquê, não há nenhuma razão que justifique o meu comportamento.
é giro sentir-me assim, nada me chateia o que me deixa serena, e não com o stress do costume. ao estar zen, posso fazer qualquer coisa que não me preocupo com as consequencias! :)
hoje, ninguém acaba com isto!
«hoje estou feliz porque sonhei contigo, mas amanha posso chorar por não te ver ... dias de luta, dias de glórias!»

artista ♥


uns acordes somados com umas palavras cantadas de uma fantástica voz como a tua, cativaste-me, agarraste a minha atenção, conquistas-te o meu ouvido, a partir daí nunca mais te larguei. Cantas de uma forma tão simples e sincera, tal como uma verdadeira artista! uma simples voz no sítio certo foi o ponto de partida para tudo isto, um começo de uma nova amizade, uma amizade especial, com uma rapariga especial, com a música, com a melodia que saía das tuas cordas vocais. o talento nasceu contigo, tens um dom, admiro-te por isso. És fantástica em tudo o que fazes, e pessoas como tu não deviam sofrer, transmites-me a calma que preciso para lidar com o meu dia-a-dia. Odeio ver-te triste, pois essa não é a minha artista, a minha artista é linda e sorri mesmo estando a chover, mesmo estando um sol tórrido! És espantosa, e se algum dia tiver de pagar uma quantia descabida para ir a um concerto teu, eu vou pagar! Mesmo que mais ninguém vá, eu vou! E sabes porquê? Tens uma coisa à qual se chama de talento, e este precisa de ser reconhecido! não mereces ficar sozinha, tens a minha companhia.
Minha fonte de inspiração, amo-te :)

quarta-feira, 2 de junho de 2010

tempos


«Se for mesmo ele fica!»
O sentimento está cá minhas meninas!
E não nunca me esqueci de vocês, no meu coração ainda permanece tudo o que vivemos!
Serviu para matar saudades, para vos provar que as coisas não mudaram tanto assim!
Sempre presentes!
Bárbara, Inês, Cátia (L)
-----------
Tinha saudades disto, tinha saudades de te ter ao meu lado, tinha saudades de estar contigo, tinha saudades de patilhar contigo aquilo que tu sabes, tinha saudades de me rir contigo, tinha saudades, muitas saudades!
foram dos tempos mais felizes da minha vida, e disso não tenho dúvida nenhuma, riamo-nos com a espontâneadade própria dos 8 anos de idade. como esta amizade há poucas, tão resistente à distância, tão resistente a dramas.
como tu há pouca gente, com uma incrivel personalidade e uma óptima disposição.
amiga, és inesquecívelmente ETERNA!
e quanto a esta noite? tenho uma coisa a dizer: FOI A MELHOR MANEIRA DE VOLTARMOS A ESTAR JUNTAS COMO DANTES!
Percorremos todos os caminhos que em tempos tinhamos feito, JUNTAS!
Jéssica (L)

terça-feira, 1 de junho de 2010

Parabéns Amigo!

Parabéns amigo, espero que a tua vida te corra muito bem, tal como tu mereces :)

Se fossemos a pensar no que já se passou nesta amizade, se fossemos a pensar no que já dissemos um ao outro, dava quase para fazer um livro. Talvez este seja apenas mais um capítulo desta bonita história!
Já fizemos coisas de amigos verdadeiros, já confessamos coisas de amigos verdadeiros, já falamos horas e horas a fio ao telemóvel sem nunca nos cansarmos, já nos levantamos às 6h da manha para estudarmos juntos, já mostramos músicas mesmo bonitas um ao outro, já passamos uma noite numa tenda, já fizemos as nossas verdadeiras promessas, já dissemos coisas fofis um ao outro. Por outro lado, já fizemos coisas más nesta amizade, coisas essas que a puseram em jogo e por ser TÃO verdadeira resistiu; já provamos que isto vai para além de um mero sentimento, já quebramos promessas feitas, já falamos alto e mal um para o outro! Mas continuamos aqui, não como dantes, mas estamos aqui! E, com o tempo, vamos recuperar, vamos lutar! Gosto muito de ti, espero que não tenhas dúvidas disso!
Amanhã, dás-me um abraço?!
Ah, e mais uma vez PARABÉNS!
fábio, não me esqueço destes últimos meses <3

pureza, companheirismo, verdade!

num olhar disse mais que mil palavras
num beijo dei-te tudo o que tinha
num abraço ficamos apenas um
numa vida foste meu
numa lágrima desabafei
num sonho conquistei
num salto alcancei o impossível
num toque arrepiei
num gesto sorri
num pesadelo sofri quanto pude
num jogo venci-te
numa caricia foste o céu
não preciso dizer mais nada, tu sabes a que me refiro!
puro segredo, puro sentimento, puro desejo, pura conexão (...)
puro, branco, perfeito :)
nada nos separa, nada nos divide!

domingo, 30 de maio de 2010

um sábado cheio de força

Após uma semana repleta de tédio, e lágrimas consegui finalmente descansar, e não há nada que uma boa noite de sono não cure.
Passava pouco da meia noite e os meus olhos já pesavam no sofá da sala, a novela já tinha acabado, iria começar uma série policial, não é que não gostasse dela mas sentia que precisava de dormir! Dormir para esquecer o que tinha feito de mim, das pessoas mais tristes que eu própria conhecera. Fui-me deitar, e dormi, dormi, dormi...
Na manhã seguinte, quando me levantei, olhei-me ao espelho e senti uma grande vontade interior de sorrir, coisa que já não fizera com tanto entuasiasmo fazia tempo. Estava calma e serena como uma seara de trigo durante um tórrido verão. Sentia-me feliz, e ao mesmo cheia de força! Aí, resolvi logo saltar para banheira, queria lavar o corpo e a minha alma.
Agora, com o banho tomado, a vontade de sorrir era cada vez maior, finalmente estava bem! Tomei o pequeno-almoço, e sentei-me no sofá a ver televisão, mas não estava a gostar do que estava ver e pus-me a fazer zapping até que surgiu algo que requiriu o meu interesse, eu vi. Chegou a hora do almoço, a mámi chamou, eu fui a sorrir novamente! Almocei, lavei os dentes e pus-me a ler a teoria de f.q., era algo que me irritava mas aproveitei a minha boa disposição para o fazer! Com explicação às 6h tive de arrumar tudo e apanhar o autocarro que me levou pelo caminho certo.
A explicação correu bem, tal como o resto dia (...)
A única coisa que pretendo fazer com esta descrição do meu sábado, é que com pouco, faz-se muito. E que nem sempre com muito se faz muito!
Recuperei as minhas forças, e estou feliz! Voltei ao normal! :D

sexta-feira, 28 de maio de 2010

que semana :/

dou por mim a tentar perceber que semana foi esta, que espécie de sentimentos foram estes que me invadiram e me deixaram de rastos, que valor têm eles para mim...
se me perguntarem o porquê de eu ter passado a semana toda mal disposta, eu irei repsonder que foi em resultado de muita coisa que me andava a perturbar durante os últimos meses, foi resultado de um acumular de situações. De facto, andei muito mal, não só com os que me rodeiam, mas comigo mesma. Dei por mim num estado tal que já não sabia sequer como reagir. Provavelmente, magoei pessoas de quem eu gosto com todas as minhas forças, sei que talvez não o devia ter feito, mas também, talvez fosse uma maneira de me proteger. Isolando-me, fui criando barreiras, e tudo isto num tão curto espaço de tempo. Não consigo reagir a estimulos exteriores, consegui afastar algumas das melhores pessoas que já conheci. Fiquei desiludida comigo mesma, talvez um pouquinho com algumas dessas pessoas, e se eu andasse bem como costumo andar, provavelmente nem tinha ligado muito. Mas a verdade é que não ando bem, e tudo serve para me deitar mais abaixo, porque me sinto incompleta!
queria-vos pedir desculpa, mas também queria pedir que me tentassem entender, e que nem as coisas estão como nós queremos que esteja. Apesar de tudo, vocês sabem o que valem!
E sim, isto é principalmente para ti Soulmate!
"Se for mesmo, ele fica!"

domingo, 23 de maio de 2010

incertezas


Porque não me sais da cabeça?
Porque não voltas para mim?
Porque não te assumes perante a minha pessoa?
Porque não voltas para mim?
Porque não te mostras capaz?
Porque não voltas para mim?
Porque te escondes nessa máscara?
Porque não voltas para mim?
Porque não me fazes feliz mais uma vez?
Porque voltas para mim?
Porque me fazes querer, e duvidar?
Porque não voltas para mim?
Porque te refugias na pessoa que te faz mal?
Porque não voltas para mim?
Porque não te tornas numa única excepção?
Porque não voltas para mim?
Porque não lutas?
Porque não voltas para mim?
Porque desistes?
Porque não voltas para mim?
Porque me fazes chorar?
Porque não voltas para mim?
Porque deixaste de me fazer rir?
Porque não voltas para mim?
Porque deixaste que isto acontecesse?
Porque não voltas para mim?
Porque és amargo?
Porque não voltas para mim?
Porque não voltas para mim?
Porque não voltas para mim?

Desculpa a insistência, queria que houvesse uma consequência!

sábado, 22 de maio de 2010

dilúvio

a animação de uma conversa, os dedos escreviam mais rápido do que a própria mente pensava, seria a forma mais estranha de lidar com a tua ausencia e com a tristeza que isso provocava em mim. olhava, agora para uma pessoa que me dizia quase tanto como tu, e assim passamos os minutos seguintes, nenhuma palavra saía e não havia movimento, de repente enviei uma música e uma lágrima deste lado caiu, e seguiram-se outras que foram correspondidas do outro lado. Uma tristeza profunda e forte apoderava-se de nós, simultaneamente, era incompreensivel, e ao mesmo tão fácil de entender já que nos intitulávamos de "soulmate".
A razão para aquilo estar a acontecer eras tu, pelo menos da minha parte, sinto que desde que partiste para outra, a minha vida permaneceu sem sentido, pois tu fazias parte de todos os minutos que vivi nos últimos anos, sentia-me tão chegada a ti, que a ideia de te poder perder era tão assustadora que não pensava que estava mesmo a viver isso. O que me andava a amedontrar era forte demais para eu conseguir lutar sozinha, já que não era de ferro e a palha que havia em mim, aumentava a sua área de dia para dia. Preciso de ti, como nunca precisei. Veio uma leve brisa, e lá se foi, tudo se desmurenou, desfez-me em pedacinhos tão pequeninos que só a potência da tua visão os conseguia ver. Sempre te amei. Encorajada por muitos, consegui-me levantar, mas muitas das pecinhas que me tinham caído ali ficaram, e por isso, por vezes vou-me abaixo, precisava de ter melhores bases. Continuas a fazer parte do meu dia-a-dia. Precisava de ter melhores alicerces para me aguentar firme perante cada uma das situações da minha vida! Mais uma história que o vento levou junto com ele. No meu pensamento, és rei!
fazes falta, até sempre!

estado de espirito

estou estranhamente calma, o que será isto?
seja o que for, faz com que eu consiga olhar através da janela da sala, e o que me chama mais a atenção seja a relva, seja o céu azul, sejam as árvores, seja um conjunto de materiais aos quais já não prestava tanta atenção faz tempo.
sinto-me bem e irreal ao mesmo tempo, sinto-me feliz e triste, melhor e pior. sinto tudo, sentindo nada, sinto-me dentro dos meus livros que lia aos 7 anos.
estou calma, e serena. sinto-me no meio de uma seara de trigo, mesmo como nos meus livros. sinto-me com calor, gosto disso. sinto-me capaz de lutar, gosto disso. sinto-me capaz de sorrir, amo isso. sinto-me livre, e quanto a isso não tenho se quer palavras para descrever o quanto admiro este estado de espirito. por outro lado, sinto-me capaz de soltar uma lágrima do meu olho direito, e deixá-la escorrer pela minha cara, estaria a deixá-la ser livre, tão livre quanto eu me sinto, iria percorrer o seu caminho.
quero-te abraçar, queria ver-te entrar por aquela porta novamente como naquele dia que entraste, eu agarrei-me ao teu pescoço, porque quando o fiz, fi-lo por instinto, quando te vi perante mim, senti uma louca vontade de o fazer, e depois dei-te a mão e amava voltar a fazê-lo daquele jeito tão sincero.
fez um ano que tudo aconteceu (...)
um dia poderá voltar, quem sabe!
até lá vou continuar a amar-te como um verdadeiro amigo, que o és!
não precisa de haver um fim para tudo (...)

quinta-feira, 20 de maio de 2010

fazer sentir

Dou muitas vezes por mim a pensar, a interrogar-me o que teria acontecido na minha vida, se não nos tivessemos conhecido, o que teria sido de mim se não tivesses entrado na minha vida da forma como entraste, o que faria eu neste momento se tu não me incentivasses da minha maneira como o fizeste, o que aconteceria agora quando eu tenho vontade de desaparecer, de fugir. Depositei tanta confiança em ti, em nós. que agora me sinto presa às memórias daquilo que fomos, já lá vão uns meses e tu ainda estás no meu pensamento! não te consigo esquecer, nem se quer apagar o que me deste, porque isso, isso então é do mais valioso e profundo que tenho.
aprendi coisas contigo que marcaram estes últimos anos, aprendi contigo que para amar é preciso confiar e reconhecer que erramos, é preciso força de vontade e nunca desistir, porque há sempre uma luz, por mais apagada que esteja!
sinto falta do teu orgulho, de nunca dares o braço a torcer, sinto falta da pessoa que era quando estava contigo, o mundo acabava e reduzia-se a quatro paredes e dois seres humanos. É inesquecivel a forma como me tratavas, como me agarravas, como me fazias rir. Lembro-me muitas vezes de tu me pores um sorriso nos lábios, mesmo quando eu estava horrivelmente zangada contigo, porque tu eras tu. E tu eras ÚNICO!
Sinto fata, sinto saudades, sinto (...), sinto (...), sinto (...)
Porque apesar de tudo, tu permaneceste imóvel e eternamente no meu coração!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

liberdade

"A liberdade é algo que se conquista, é algo que se vai adquirindo durante a nossa passagem, tão louca quanto alucinante, pela vida.
A liberdade é um estado de felicidade, a qual pode ser gozada até ao extremo, é poder de decisão, é vermos a nossa vida correr e corrermos atrás dela. A liberdade não é acomodação, não é deixar ficar, é lutar e levar a melhor!
Se não houvesse liberdade não estaríamos aqui, aqui a escrever o que nos vem à cabeça. Sem liberdade não há responsabilidade, e o mesmo se verifica ao contrário, sem responsabilidade, não há liberdade.
Se hoje, somos e fazemos, ou até mesmo dizemos tudo isto, devemo-lo a liberdade, porque um dia, alguém teve a liberdade de nos criar.
A liberdade, na minha opinião, é um bem tão valioso, como a própria riqueza.
«Amo a liberdade, porque eu tenho a liberdade de a sentir!»"
Ariana Machado - 06.05.2010 (Teste de Português)

sábado, 15 de maio de 2010

esgotante

é esgotante a forma como tenho vivido estes últimos dias, estou num turbilhão de questões na minha cabeça, não sei o que fazer em relação a imensa coisa que está patente na minha vida. encontro-me sem saber se quer se quero acordar ou se quero ficar a dormir o resto do dia! não sei o que fazer quando enfrento dois caminhos, não sei o que fazer quando me aparece sim ou não, ficar ou ir, lutar ou falecer! a minha vida está numa encruzilhada de interrugações! queria-me sentir livre, queria-me sentir à vontade comigo mesma, queria-me sentir feliz ao olhar em redor, queria-me mostrar feliz perante tanta felicidade que me rodeia, mas não consigo, não consigo reagir!
melhor estaria há uns anos, quando olhava para o espelho e para me ver tinha de puxar um banquinho, sinto falta de sair de casa de manha de mão dada com a minha mãe e ir até à escola primária, tenho saudades dos meus 6 anos quando aprendi a ler e a contar, a juntar palavras! agora as poucas coisas que junto são memórias de tudo o que vivi, são conjuntos de coisas que me vão matando aos pouquinhos.
estou feliz por já ter vivido o que vivi, por apesar de tudo consguir sorrir!
e com os verdadeiros amigos, tudo se torna mais fácil, tudo se torna possivel!
"não tenho tudo o que amo, mas amo tudo o que tenho!"

sexta-feira, 14 de maio de 2010

vóvó, miss you

sentir a falta de uma pessoa que partiu, uma pessoa que me dizia tanto quanto tu!
é caso para dizer "rio para não chorar"! a tua ausencia é fustrante, a tua distância é o pior que senti desde há 2 anos, a liberdade de poder chorar não quando me lembro de ti, mas sim quando me sinto mais frágil, quando olho em redor e tento encontrar uma razão mais ou menos plausivel para isto que aconteceu.
todos choramos a tua perda, toda a gente nos critica, quando o que sentimos é a saudade pela falta que nos fazes, pela vida que nos deste! és mais que uma mulher, és uma santa e foste canonizada nos nossos corações, nas nossas memórias, nas nossas vidas!
és a mãe de todos nós, a origem desta família que como todas as outras tem coisas boas e más, pessoas mais chegadas que outras, és o nosso exemplo e queriamos todos seguir a tua caminhada aqui, nesta alucinante vida, que sempre soubeste lidar com ela como ninguém.
ensinaste-nos tanta coisa, uma maneira tão simples como verdadeira!
até um dia avózinha, até um dia!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

a saudade aliada à força de querer voltar

sim, sinto-te longe, distante como nunca!
estou contigo, e sinto-te a quilómetros. estou ao teu lado, e sinto-te do outro lado do mundo!
quero chegar a ti, mas há barreiras que não o permitem, quero alcançar os teus braços, mas eles não se abrem!
quero fazer da nossa amizade, uma amizade modelo, mas não consigo se quer pensar no que nos aconteceu. queria poder voltar atrás e mudar pequenas coisas que iam fazer toda a diferença. sei que te amo, disso não tenho quaisquer duvidas, mas há algo que não me deixa mostrar-te.
esta distância tao próxima. estranha talvez seja a palavra que consigo achar para a nossa situação, estamos ambas a sofrer e não conseguimos mudá-lo, pelo menos para já x:
és importante, indespensável sem duvida!
és especial, reconfurtante de certeza!
como tu, não há. e se algum dia te desiludi peço as maiores desculpas, apesar de saber que uma amizade é assim mesmo.
se já me desiludiste? sim, ainda há pouco tempo, mas nós suparamos, e a falar é que a gente se entende!
rapariga, sabes o que vales, e não ninguém te tira o lugar!
a minha soulmate eu não posso perder, és a essencia da minha vida (a)
estamos juntas, amo-te!

domingo, 2 de maio de 2010

mãe e filha!

a meus olhos, és a mulher mais perfeita deste mundo! és a mulher que me viu nascer, és a mulher que melhor me conhece, sei que contigo posso sempre contar! fazes parte da minha vida há mais de 16 anos, e és única por isso.
és linda mesmo quando não te arranjas, és feliz mesmo quando não sorris, partilho contigo tudo o que tenho e tu partilhas comigo esta tão complexa vida. ajudas-me mais que qualquer outra pessoa, apoias-me muito mais que muita desta gente que aqui mora, compreendes-me como ninguém, ouves-me com uma atenção tão inqualificável quanto a tua personalidade, és especial porque és minha, és importante porque marcas a diferença a toda a hora, és natural como só tu sabes ser!
chateiaste comigo, berras comigo, castigas-me, mas nada mais me sabe tão bem como um abraço teu! sabes como falar comigo quando estou triste, sabes rir comigo como mais ninguém o faz, és sincera quando não gostas, és a melhor pessoa que conheço nesta vida, és quem me faz sonhar quando estou sem forças para acreditar.
gosto de te ver dormir, porque quando o fazes é sinal que estás cansada de trabalhar para nos sustentar, és uma super-mulher e tu mereces todo o apoio deste mundo e do outro!
mãe há só uma e eu fiquei com a melhor de sempre!
obrigada por tudo o que já me deste, obrigada por tudo o que já me disseste, obrigada por tudo o que já fizeste por mim e por nós! és INDESPENSÁVEL.
mamã, és a mulher da minha vida, a minha mega mamã!
GOSTO MUITO DE TI!

sábado, 1 de maio de 2010

senti-me desconcertada, com falta de peças, uma grande parte de mim tinha sido arrancada e levada bem para longe, não de mim, mas de outrém! senti-me incompreendida, pois falava e ninguém me entendia! senti-me livremente presa a uma pessoa que me fazia mal, que me foi matando por dentro! senti-me aliviada por ter conseguido estancar o sangue que corria do meu peito! senti-me concretizada por finalmente ter conseguido arranjar uma maneira para que a minha vida fizesse sentido!
desfarçadamente, dei uma mão ao medo que tive e agarrei a coragem com a outra, sonhei durante dias, planeei tudo até ao ínfimo pormenor! gastei todas as minhas forças, todas as minhas poupanças a reconstruir o que em tempos tinha desabado, soube que assim, de alguma maneira, eu iria ser recompensada, algo me dizia "Ariana, vale sempre a pena", eu segui a voz, a voz que me fez chegar onde estou hoje, ao ponto em que me encontro, à situação em que vivo, queria esquecer os dias que passei fechada numa sala fria e sombria a planear a morte daquilo que me viera matar.
tomei decisões importantes e momentaneas, às quais nem agora encontro razão para ter optado por elas, tive de escolher entre morrer ou viver, tive de escolher entre permanecer ou abandonar, entre muitas outras. muitas destas decisões tiveram consequencias negativas perante a minha vida, perante as minhas mudanças de estado de espirito!
hoje, quero esquecer que já sofri, quero esquecer que a minha vida já deixou de fazer sentido, um dia de cada vez vou vivendo a vida escolhi, a vida que restou de todas as minhas escolhas e opções.
"a vida é uma alucinante aventura, da qual jamais saíremos vivos"
para quê? para quê viver uma vida que não a nossa? para quê vivermos numa luta que não a nossa? para quê viver? para quê matar? para quê?!

sábado, 17 de abril de 2010

sem ti

não sei o que dizer quando te vejo diante de mim,
não sei como olhar quando te aproximas,
não sei como reagir quando fico a olhar para ti,
não sei o que fazer quando tu chegas,
não sei se hei-de falar ou calar,
não sei se hei-de parar ou continuar,
não sei se hei-de correr ou andar,
não sei se hei-de sorrir ou chorar,
não sei como agir ao ver-te lá ao longe,
não sei ficar feliz sem ti perto de mim,
não sei caminhar sem a tua mão para me acalmar,
não sei abraçar sem ouvir o fervilhar do teu coração,
não sei por onde ir, sem ti para me dizer o caminho certo,
não sei encontrar a perfeição, sem ter um cheiro dela,
não sei ser o que era sem ti,
não sei como proseguir, sem o passado bem esclarecido,
não sei esclarecer-me sem a tua razão,
não sei como me afastar, quando tu te aproximas,
não saber está patente na minha vida, porque desde o dia em que te abandonei, deixei ser a pessoa e passei a ser uma pessoa, igual a tudo, igual ao mundo!
estou perdida, e preciso que tu me encontres.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

sonho realizado (y)

7:15 - toca o despertador
7:30 - acordo
7:45 - levanto-me
7:52 - entro o banho
8:20 - saio do banho
8:23 - visto-me
8:37 - saiu de casa
8:48 - apanho o autocarro
9:00 - chego à maia
9:15 - chega a melhor amiga
9:25 - chegamos ao metro
9:29 - apanhamos o metro
9:55 - chegamos a Trindade
10:10 - chegamos a Gaia
10:35 - chega a Ana e a Irmã
11:45 - apanhamos a camioneta em direcção a Seixo Alvo
12:15 - chegamos ao Olival
13:15 - depois de muitos outro saírem, sai o Idolo - BRUNO ALVES!
13:20 - Abandona o Olival após ter-me dado 3 autografos, ter tirado 1 foto e ter-se rido para mim imensas vezes!
SONHO REALIZADO *.*

quinta-feira, 8 de abril de 2010

desistências e consequências

ao longo da minha vida fui-me apercebendo do quanto dependo de simples coisas, simples pessoas que marcam a diferença durante a nossa existencia.
quando desistimos, perdemos tudo o que temos. quando erramos, falhamos e podemo-nos arrepender. quando nos apercebemos do mal que fizemos, queremos mudar, pois sabemos que é o melhor. quando tudo se altera e chega o fim, chegamos ao primeiro patamar, isto é, perdemos tudo o que temos!
é bom saber que podemos voltar atrás e a conversar é que a gente se entende.
quando estiver a falar contigo, vou ser sincera, porque sei que a sinceridade é o fundamental. quando souberes de tudo, ao promenor, aí, irás perceber de tudo o que falo, de tudo o que digo.
e se, por mero acaso, sentires a minha cara esfriar, uma lágrima escorregar, o meu coração bater mais forte, significará que é a hora de me dares a tua mão e sentir o meu perdão, serei honesta e verdadeira como sempre prometi ser.
um curioso: até segunda...

sábado, 3 de abril de 2010

a procura

se julgar fosse a solução, eu julgar-te-ia
se desistir fosse a solução, eu desistiria de ti
se calar fosse a solução, eu calar-me-ia
se gritar fosse a solução, eu gritar-te-ia
se insistir fosse a solução, eu insistiria
se afastar fosse a solução, eu afastar-me-ia
se acreditar fosse a solução, eu acreditaria
se cantar fosse a solução, eu cantaria
se esquecer fosse a solução, eu esquecia-te
se lutar fosse a solução, eu lutaria contra tudo e todos
se perder fosse a solução, eu perderia tudo
se ir fosse a solução, eu iria
se deixar fosse a solução, eu deixar-te-ia
(...)
talvez a solução seja procurar, pois sei que um dia eu vou voltar a encontrar-te igual a como te deixei.
tudo se tornou meras recordações!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

mal-me-quer, bem-me-quer

passeio na rua
fico na dúvida se queres ou não queres
passo por uma casa
e pego um mal-me-quer

sinto a tua falta
o teu respirar e o teu olhar
quero-te comigo
até o mundo acabar

gosto muito de ti
arranquei as pétalas do mal-me-quer
ao fim de tudo isto
nada acaba, venha quem vier

caso acabe com mal-me-quer ou bem-me-quer
a minha vida sem ti não dá
quero-te comigo
para sempre ou para já

nada faz sentido
nada é tão real
és uma grande pessoa
um ser humano bem leal

amo-te!

segunda-feira, 29 de março de 2010

infelizmente

É por ti que tudo vale a pena
É por ti que tudo é tão profundo
É por ti que continuo em frente
É por ti que brilha este meu mundo

de vez em quando sofremos por pessoas que só nos trazem maus momentos!
arrependo-me de tudo o que te disse, de tudo o que te dei.
:x

sexta-feira, 19 de março de 2010

melhor.amiga

sensata, honesta, humilde, cativante, modesta, simples, feliz, calma, linda, fantástica, brilhante, acho que estas são as palavra que encontro para te tentar definir. já me deste tanto de ti em tão pouco tempo. muitas vezes pões o meu bem estar primeiro do que o teu, pensas primeiro em mim e depois em ti. é isso que faz de ti a minha melhor amiga, sabes exactamente como sê-lo! simplicidade expressa em cada sorriso teu, a alegria instalada na cor azul e profunda dos teus olhos, o carinho que me transmites em cada gesto, a melancolia de uma amizade, de duas vidas que se juntaram para sempre! e quando formos velhinhas, vamos estar uma ao lado da outra seja onde for! porque há pessoas que marcam, e tu marcaste a minha vida! marcaste-a da maneira que mais niguém conseguiu marcar, fizeste-o da maneira mais especial possivel, pois agora dependo unicamente de ti, sem ti as palavras não fazem sentido, nos rios não corre água doce, nos mares não corre água salgada. isto é verdadeiro, tal é que confio plenamente em ti, sei que tudo o que é nosso, é nosso, e não é de mais ninguém! ter uma pessoa tão importante na minha vida como tu, só faz com que só me reste agradecer à pessoa que nos uniu, à pessoa que conseguiu com que deixasse-mos de ser desconhecidas uma a outra! acima de tudo, estás tu, está a nossa amizade, está esta cumplicidade que faz com que nos mantenhamos perto uma da outra! quero passar o resto da minha vida a teu lado minha melhor amiga!
depois disto tudo, quero-te dizer apenas mais duas ou três coisas: obrigada por seres quem és! amo-te! nunca me vou esquecer que houve um dia na minha vida em que entraste, marcaste e permaneceste!