sábado, 12 de junho de 2010

indefinido!

por tanto te amar, odeio-me
por tanto te desejar, desiludo-me
por tanto acreditar, desisto
por tanto me marcares, choro
por tanta diferença fazeres, choco-me
por tanto querer voltar, afasto-me
por tanto te querer perdoar-me, condeno-me a mim
por te deixar fazer o que queres, esqueço-me de mim
por te dar a minha vida, castigo-me
por te dar o meu amor, perdi o meu amor próprio
por tanto te querer perto de mim, isolo-me
para dar sentido à tua vida, perdi-me na minha
por achar que te amo tanto, deixei de amar os outros
por me teres roubado tudo o que tinha, sorrio
por, um dia, me teres feito feliz, recordo do que fomos
por teres conseguido adoptar-me, revolto-me
por tanto me teres feito chorar, fico comovida
por tudo o que conquistas-te, admiro-te
por te ligar tanto, não vivi o que devia
para te conseguires sentir bem, usaste-me
por ser tua amiga, perdi amigos
para teu beneficio, prejudiquei-me
mesmo assim, hoje, digo que fomos felizes! como muita pouca gente conseguiu ser!
sabes o que fizeste, e os danos colaterais foram demasiado agravados.
uma gaivota voa livre por este céu que nos ampara de muitas radiações, mas por outro lado não nos poupa quando as nuvéns estão pesadas e precisam de brotar a água que carregam!
amo-te!

2 comentários:

  1. Oh, obrigado. Digo o mesmo deste, que bonito :3

    ResponderEliminar
  2. oh, obrigada, mas já passou :')
    és uma querida <3

    ResponderEliminar